Resenhas de Livros

Quando a noite caí

Briana é uma mulher completamente sem sorte, e ela tem plena consciência disso. Sua cabeça está um fervilhão: mais uma vez acaba de ser dispensada; essa é a a terceira vez dentro de um único mês. A pensão de sua mãe não da pra praticamente nada e sua família realmente precisa desse dinheiro. De uma forma super estranha e do nada, um emprego surge e, para fechar com chave de ouro as estranhezas de sua vida, seu novo chefe é a cara de Lorcan, o irlandês de seus sonhos, que atormenta suas noites desde seu aniversário de 18 anos.

Diferente de Perdida, No Mundo da Luna ou Procura-se um Marido, Quando a noite caí é uma obra indescritível! É o típico livro ‘que é a minha cara’, se assim posso chamá-lo. Com uma pegada bem romântica, conhecemos um lado mais apaixonadinho de Carina Rissi e se você acha que já viu o amor mais lindo com Sofian.. comece a leitura hoje mesmo, vai por mim.

Briana é uma personagem encantadora, desastrada, querida e leal, e é uma das narradoras dessa história, a do tempo atual. Briana nos conta uma das duas histórias presentes, enquanto o outro enredo fica por conta de Ciara, lá na parte mais rústica, na Irlanda. Com esse ping-pong entre duas histórias, Carina nos faz ansiar por mais, além de querer saber qual a ligação entre o atual chefe de Briana e Lorcan, o irlandês que perambula nos sonhos dela.

Tem dias que tudo dá tão errado que a pessoa se pega pensando que não deveria ter saído da cama nem para ir ao banheiro, só para evitar que, sei lá, quando fosse acionar a descarga acidentalmente quebrasse alguma coisa e a casa se transformasse em uma enorme piscina.

É natural do ser humano lutar. E, sempre que nos sentimos ameaçados, acuados, amedrontados ou feridos, nós atacamos, porque é o jeito mais fácil de mascarar a dor.

Me apaixonei por cada detalhe, do inicio ao fim. Ansiei por mais, me identifiquei com a protagonista, adorei as saídas da zona de conforto de Carina ao falar um pouco mais sobre mitologia e, acima de tudo, me apaixonei perdidamente por mais um de seus personagens masculinos. Assim fica difícil, Carina! Quanto mais você escreve, maior fica o padrão de exigência da minha pessoa.. ou seja: não complique mais minha vida, obrigada!.

Carina Rissi + uma boa dose de romance + um enredo atual + um enredo de época + humor a lá Rissi + uma saída básica da zona de conforto da autora = Fórmula Perfeita.

Essa história pegou fundo no meu coração, de uma forma que nem No Mundo da Luna conseguiu, e olha que esse é o meu livro preferido dela. A maneira como ela expressa e demonstra a pureza de um sentimento tão lindo como o amor em suas palavras, nas entrelinhas, nas palavras não ditas.. é surrealmente envolvente.

O amor encontra alegria na felicidade do outro, porque não é feito de posse, de matéria, mas de abnegação e doação.

Se eu soubesse que essa história seria A HISTÓRIA, teria pentelhado mais a Carina nas Redes Sociais durante o processo de escrita/revisão/produção de Quando a noite caí. Totalmente caprichado, esse é um dos melhores livros que li esse ano e entra com certeza na minha lista de preferidos da vida.

24 jul, 2017
Michelle Felippelli

Posts relacionados