Crítica de Filmes

Perfeita é a mãe!

Perfeita é a mãe é uma comédia que junta atrizes maravilhosas como Mila Kunis, Kathryn Hahn e Kristen Bell. Atualmente disponível na Netflix, esse filme nos passa um pouco mais que algumas situações hilárias.. ele nos recorda o valor das mães e a importância delas terem uma identidade além do papel ‘de mãe‘. 

Perfeita é a mãe tem como sua personagem principal Amy (Mila Kunis), que leva uma vida super agitada em sua rotina de mãe/empregada/esposa. Super empenhada e dedicada, Amy tenta ao máximo dar conta de todos seus afazeres, ser uma mãe preocupada/gentil/amorosa com seus filhos e, pra completar, tem que ouvir gracinhas das outras mães pelo simples fato de não conseguir ser mais frequente em reuniões escolares e coisas do tipo. 

Até aí.. nada demais, só que tudo tende a mudar quando ela descobre uma traição de seu esposo e as coisas começam a desandar. Após esse incidente na vida de Amy vira de cabeça pra baixo. Ela basicamente dá uma ‘surtada’ e acaba explodindo. Ela se torna amiga de duas outras mães, Kiki e Carla, do mesmo colégio de seus filhos e as três, fartas de suas rotinas e de toda a mesmice do dia a dia, resolvem se despreocupar das obrigações familiares e passam a se divertir como a muito não faziam.

Vamos ver um novo lado de Amy vir a tona: uma mulher que reencontra seu lado jovem perdido há muito graças a maternidade, graças as obrigações do dia a dia. Amy sucumbe da mais profunda escuridão existente dentro de si e passa a viver uma vida de jovem solteira com responsabilidades adultas e maternas.

Perfeita é a mãe é um filme bem divertido que aborda a dificuldade de uma mãe em cuidar da casa, dos filhos, do emprego e do marido, que traz temas bem interessantes e quem é mãe deve com certeza se identificar com certas coisas. Eu não sou mãe mas já presenciei situações mostradas no filme e imagino o quanto deve ser difícil passar por isso da melhor maneira possível. 

Apesar de toda ironia e comédia, Perfeita é a mãe nos traz uma mensagem de que mesmo nos tempos mais difíceis ‘mãe nunca deixa de ser quem é’. Ela sempre vai ter, mesmo que ofuscado por um surto momentâneo, seu lado cuidadosa, preocupada e, acima de tudo, o amor incondicional.

Vale lembrar que Perfeita é a mãe possui um linguajar um pouco  mais despudorado, com palavrões, gestos e cenas mais obscenas. Possui também diversos atitudes e momentos que, particularmente, me deixaram bem irritada. Atitudes que, independente do que estava acontecendo, eram claramente surreais e inaceitáveis para a realidade da maioria das mães. A questão é simples: não podemos confundir ficção com realidade. 

PERFEITA É A MÃE!

Elenco: Mila Kunis, Kathryn Hahn, Kristen Bell, Jada Pinkett Smith, Christina Applegate, Emjay Anthony, Kesha
Direção:
Jon Lucas, Scott Moore
Gênero: Comédia
Duração: 100 min

Sinopse: Nesta comédia escrita e dirigida por Jon Lucas e Scott Moore (da trilogia ‘Se Beber, Não Case‘), Amy Mitchell (Mila Kunis, Amizade Colorida) une-se a mais duas outras mães que vivem estressadas devido a responsabilidades matriarcais: Kiki (Kristen Bell, Frozen) e Carla (Kathryn Hahn, Quase Irmãos). Juntas, as três buscam alternativas para se libertar das suas rotinas e decretam guerra contra as mães perfeitas. Em entrevista exclusiva, as protagonistas comentam sobre como ser uma boa mãe.

A indicação é interessante, principalmente se você está procurando por um filme descontraído e que te faça dar boas risadas, mas lembrem-se: vocês irão ficar surpresos e desacreditados com certas situações. Se você for mãe e estiver passando por algum momento difícil: assista esse filme com a mente muito aberta, ciente que é apenas ficção, afinal.. se desprender de algumas amarras e rótulos é uma coisa, virar baderna é outra.

Perfeita é a mãe é excelente em alguns pontos, principalmente no que diz respeito a resgatar a mulher que existe dentro de você e valorizar não só a sua família mas a si mesma também, porém.. peca no exagero e na falta de limites nas ações inconsequentes de Amy.

Avatar About Author

Gírias cariocas com aquelas boas manias paulistanas. Um toque único de cada livro lido, cada série assistida, cada filme lembrado.. um conjunto de memórias, de lembranças boas a serem compartilhadas.