Crítica de Filmes

O CORAJOSO CORAÇÃO DE IRENA SENDLER

Como o restante das agridoces, eu não poderia ficar de fora da semana mais #GirlPower do ano! Iremos falar sobre Irena Sendler na resenha de hoje, que por sinal foi escolhida a dedo; então se preparem: está começando mais um #LuzCâmera&Ação.

Nascida em 1910, no mesmo ano em que ocorreu, em Copenhaga, a 1ª Conferência Internacional de Mulheres (que foi dirigida pela Internacional Socialista quando aprovada a proposta da socialista alemã Clara Zetkin), Irena Sendler foi uma assistente social que trabalhou no departamento de bem estar social de Varsóvia, junto com um grupo de enfermeiras que lhe ajudavam a organizar espaços para realizações de refeições comunitárias para os moradores necessitados da cidade.

Nesse espaço, graças a ela, eram entregues roupas, medicamentos, dinheiro e tudo que pudesse aliviar a dor dos órfãos, anciãos e pobres que viviam a margem da sociedade. Consequentemente Sendler tornou-se uma ativista dos direitos humanos durante a 2ª Guerra Mundial, ficando conhecida assim como “o anjo do Gueto Varsóvia’’ e também como “a mãe das crianças do Holocausto’’, após salvar mais de duas mil e quinhentas crianças judias das mãos dos nazistas.

Baseando-se nisso a CBS decidiu em 2009, um ano após o seu falecimento, produzir o filme ‘The Courageous Heart of Irena Sendler‘ (O corajoso coração de Irena Sendler). Nele conseguimos acompanhar a jornada de Irena ao lado de um pequeno grupo, onde sua grande maioria era composto por mulheres, na busca de lugares que pudessem abrigar as crianças judias que eram retiradas do gueto; gueto este que foi criado na intenção de isolar e reduzir a população judia, que girava em torno de 380.000 habitantes, para 70.000 habitantes, e que posteriormente tornou-se palco da primeira revolta contra a ocupação nazista da Europa.

Esses atos foram a justificativa da minha existência na terra e não um título para receber glórias.

No desenrolar do longa-metragem podemos ver Irena recrutar pessoas para lhe ajudar na retiradas das crianças daquele espaço tão precário. Vemos seus esforços para convencer os pais dessas mesmas crianças a deixa-las partirem, vemos sua coragem e a sua criatividade ao burlar o sistema em prol de um bem maior e, por fim, sua dedicação em arrumar novos lares para esses pequenos judeus, preservando a verdadeira identidade dos pequenos resgatados.

Se você vê um homem se afogando, deve tentar salvá-lo, mesmo que não saiba nadar.

Notas sobre o filme & Considerações finais

Esse filme chegou ao meu conhecimento graças um quote postado no Facebook e, mesmo gostando do que vi, decidi que não iria assisti-lo tão cedo (uma vez que eu já estava um tanto quanto saturada desta temática). Posteriormente incentivada por uma amiga, acabei baixando a guarda. Assisti ao filme e terminei me surpreendendo com o mesmo pois, por mais que a temática envolvesse a 2ª Guerra Mundial e a Segregação Racial, o foco não era esse mas sim a coragem, determinação e  bondade de uma mulher que teve a sua personalidade moldada nos princípios cristãos e na interação com seus pais.

Parece que as câmeras conseguem capturar com mestria todos os percalços que Irene e seus amigos enfrentaram, a vontade de ajudar o próximo sem se importar com os desdobramentos daquilo. Todos os momentos tristes e cruéis também são registrados e é fato: não há como ignora-los, contudo, eles são mostrados de um jeito mais brando.

O corajoso coração de Irena Sendler é um filme sensível aos olhos e ao coração, que nos conta a história de uma mulher de fibra que arriscou a própria vida e enfrentou a ira dos nazistas para salvar a vida de outros milhares e, apesar de tudo o que passou, não perdeu a sua delicadeza e suavidade.

O corajoso coração de Irena Sendler

Título Original: The Courageous Heart of Irena Sendler
Direção: John Kent Harrison
Ano de Lançamento: 2009
Duração: 96min
Gênero: Drama

Sinopse: Assistente social, Irena Sendler trabalhava, antes da guerra, com famílias judias pobres de Varsóvia – a primeira metrópole judia da Europa – onde viviam 400 mil dos 3,5 milhões de judeus de toda a Polônia. A partir do outono de 1940, passou a correr muitos riscos ao fornecer alimentos, roupas e medicamentos aos moradores do gueto instalado pelos nazistas.

Avatar About Author

20 anos, estudante de Psicologia. Formada em TV e Cinema pela Oficina de Atores em 2010. Blogueira por amor e colaboradora do #LuzCâmeraAção no Garota Agridoce. ;)