Resenhas de Livros

O ano em que disse sim

Shonda Rhimes. Não sei se para mais alguém toca um sininho, mas para mim esse nome toca vários. Durante anos falei com meus amigos sobre Shonda e o poder de suas séries, sobre os erros e acertos, mas, principalmente, sobre o peso dos personagens. Ela é roteirista e/ou produtora de várias séries: Grey’s Anatomy, Private Practice, How to get away with murder, Scandal.. Além disso tem a sua própria produtora, a ShondaLand, é mãe de duas meninas e Super Badass! E porque falar sobre Shonda e suas conquistas é tão importante para a resenha de ‘O Ano em que disse SIM‘? Porque esse livro é sobre ela e também sobre tantas mulheres mundo a fora que precisam de reconhecimento por serem incríveis.

Sonhos não se realizam apenas porque você os sonha. É o trabalho árduo que faz as coisas acontecerem. É o trabalho árduo que cria a mudança.

Em “O ano em que disse SIMShonda conta uma história (sim, ela faz questão de deixar claro que é uma história, muito embora seja basicamente a vida dela própria com alguns floreios) de como saiu de um ponto relativamente insignificante em tantos aspectos da sua vida e virou a estrela do horário mais caro da televisão americana com suas três séries principais. Além disso, ela nos conta todos os motivos certos e os errados envolvidos em suas escolhas. Fala sobre autoestima, obesidade, saúde e autoimagem de uma maneira tão real, quase como se estivéssemos conversando com uma amiga.

O mais importante desse livro é que Shonda, apesar de ser super feminista, dona de uma empresa que vale milhões de dólares e mãe solteira, nos prova e diz com todas as letras como não dá conta de tudo sozinha; aliás, ninguém dá e ninguém precisa conseguir lidar com tudo sozinha e ser absolutamente perfeita em tudo, certo? Nenhuma mulher, e nenhum homem, deveria ter sob os ombros o peso do mundo inteiro.

Depois de perceber que dizia “não” a tudo, Shonda decidiu dar a cara a tapa e aproveitar todas as oportunidades que aparecessem, nos contando então sobre tudo: os momentos difíceis, o relacionamento com as filhas, a irmã, o namorado e os amigos. Ela nos contra sobre suas vitórias e derrotas e sobre os momentos em que sempre parecia que alguma parte do seu mundo estava prestes a desmoronar nesse ano em que escolheu dizer SIM.

Mas, por mais incrível que tudo pudesse ter sido, eu só conseguia pensar em uma coisa: Consegui. Eu disse “sim” a algo que me apavorava. E então eu o fiz. E não morri.

Esse livro fala de todas as coisas que nós já sabemos, coisas que racionalmente ninguém precisa nos dizer, mas que não acreditamos com o coração e que, na maioria das vezes, nem conseguimos ver em ninguém. Em uma era de redes sociais em que a vida das pessoas parece sempre em extremos opostos, ou são completamente felizes e realizados, ou estão mergulhados em profunda depressão, é tão difícil conseguir enxergar de forma clara como as coisas deveriam ser, como deveríamos lutar para que elas fossem.

 

O ANO EM QUE DISSE SIM

Autora: Shonda Rhimes
Editora BestSeller
256 páginas

Sinopse: Você nunca diz sim para nada. Foram essas seis palavras, ditas pela irmã de Shonda durante uma ceia de Ação de Graças, que levaram a autora a repensar a maneira como estava levando sua vida. Apesar da timidez e introversão, Shonda decidiu encarar o desafio de passar um ano dizendo “sim” para as oportunidades que surgiam. Os “sins” iam desde cuidar melhor de sua saúde até aceitar convites para participar de talk shows e discursos em público. Além disso, Shonda deu um difícil passo: dizer sim ao amor próprio e ao seu empoderamento.

Avatar About Author

Gírias cariocas com aquelas boas manias paulistanas. Um toque único de cada livro lido, cada série assistida, cada filme lembrado.. um conjunto de memórias, de lembranças boas a serem compartilhadas.