Review de Séries

Santa Clarita Diet

Uma dieta restrita, a base de carne humana. Que delícia, hein? Santa Clarita Diet é a nova aposta Original da Netflix, estrelando a musa Drew BarrymoreTimothy Olyphant. Uma combinação pra lá de divertida: humor + zumbis. Santa Clarita Diet traz uma receita não tão inusitada mas que foi executada na medida certa: sem açúcar demais, sal de menos, glúten ou lactose, apenas proteína fresca.. literalmente falando. 😉

 

Diferente de vários de seus antecessores (filmes e séries com a temática de zumbis), a Netflix resolveu ousar e sair da zona de conforto com Santa Clarita Diet. Se você está acostumado com a ‘era The Walking Dead’, sinto te  dizer mas não temos absolutamente nada que remeta ao atual cenário de zumbis que conhecemos, nada de multidões de mortos-vivos e muito menos batalhas por sobrevivência e liderança.

Com um humor bem ácido, piadas super inteligentes e sátiras ao estilo de vida tão sonhado por milhares de pessoas, Santa Clarita Diet (que também é uma cidadezinha que fica no Condado de Los Angeles, onde se passa a série) vem com tudo, alfinetando o padrão de vida certinho que todos sonham e que muitos tem.

Conhecemos Sheila (Drew Barrymore), uma mulher/mãe adulta, casada com Joel (Timothy Olyphant) e bem sucedida, que trabalha com seu marido no Mercado Imobiliário de Santa Clarita. Uma mulher que tem tudo e ao mesmo tempo é super insatisfeita com seu estilo de vida e consigo própria, vivendo dentro das imposições dos padrões éticos e morais, que muitas vezes não condizem com sua real vontade, com seu verdadeiro desejo.

Mais um dia normal começa e.. certo? Errado. O que parecia ser apenas mais um dia comum, virou ao avesso. Sheila começa a passar mal, muito mal na verdade e vomita em enormes proporções. Proporções inimagináveis. E morre. Ou pelo menos é isso que Joel pensa ao vê-la caída no chão do banheiro. Mas ela acorda, morta e viva, com um desejo enorme de comer carne.. crua.

Após adquirir um novo status fisiológico, Sheila adquire novas vontades, desejos, atitudes e posturas, mais viva do que nunca.  O que antes eram vontades reprimidas em sua vida passam a ser sua nova realidade. Mais disposição, menos pudores, mais libido sexual e extravagancia. Uma nova Sheila surge em meio a todo o caos, uma Sheila que vive intensamente sem deixar nenhuma vontade para trás e a questão que fica no ar é: como lidar com isso? É possível reverter e trazer a Sheila viva, que não se tornaria uma assassina em potencial, de volta?

Em um determinado momento Sheila descobre que seu apetite não tem como ser suprido apenas por carne crua. Ela quer mais, ela precisa de mais. Proveniente de um acidente por impulso, ela percebe que necessita de carne humana e fresca. E não preciso comentar que é bem aí que tudo muda, certo? A vida continua e Joel e Abby (sua filha) precisam aprender a manter a vida sobre controle, garantir que os novos gostos peculiares de Sheila sejam saciados e garantir que não serão presos por assassinato e congelamento de corpos na garagem de casa.

Drew Barrymore é, sem dúvida, uma das minhas atrizes preferidas. Além de linda, simpática e maravilhosa (olha o puxa-saquismo aí, gente!), a desenvoltura em cena é invejável! Ela se adequa tão bem em filmes dramáticos – como é o caso de sua atuação em Já estou com saudades – como em besteiróis fantasiosos, como é o caso de Santa Clarita Diet.

O que mais posso falar? Essa série me cativou de primeira! Ela não é do tipo que demora séculos para mostrar pro que veio, não é do tipo que fica enrolando em um assunto ou situação por vários episódios. Além de ser curtinha, a primeira temporada conta com apenas 10 episódios de aproximadamente 30 minutos cada. Santa Clarita Diet é um prato cheio para uma tarde no final de semana, acompanhado de uma boa pipoca e algo pra beber que não sejam partes humanas processadas, é claro.

Vale lembrar que nós encontramos algumas cenas que, pra quem possui estômago mais fraco pode não curtir muito, são bem sanguinárias! Encontramos um humor bem ativo, situações que beiram o surrealismo e que tornam a série bem peculiar e única. Os protagonistas construíram uma química realmente perfeita, eles se encaixam e fazem com que a série funcione lindamente. Drew vai da personagem certinha à porra louca e Timothy encarna um marido/pai bobão, que faz de tudo pela família e encara as situações mais inimagináveis fumando uns cigarros de maconha escondidos da família. Os personagens foram tão bem escalados e tão bem entrosados que, ao terminar a série em pouco mais de 3 horas, me vi pedindo mais e quase que implorando a Netflix por outras 50 temporadas.

Acredito que a única coisa em que a Netflix pecou foi no final do último episódio. Achei muito corrido e senti falta de algo mais trabalhado ali. De resto.. nada a reclamar. Santa Clarita Diet vem pra alfinetar a sociedade padronizada, mostrar que nem tudo são flores e que só depende de nós para a mudança acontecer, afinal.. nem sempre estamos satisfeitos, né? Mas é bom abrirmos os olhos pois não teremos uma segunda chance tal como Sheila. 😉

Michelle Felippelli
27 anos, fotógrafa e publicitária formada e uma completa bookaholic. Sou exatamente ao pé da letra o significado de Agridoce: amarga e doce. ;) Junto com a Priscila sou fundadora do Portal Garota Agridoce, além de ser administradora, colunista e social media por aqui.