Resenhas de Livros

O império perdido de Atlântida – Gavin Menzies

O império perdido da Atlântida. Gavin Menzies. Esse nome. Esse autor. A primeira vez que ouvi falar sobre ele foi com seu bestseller ‘1421 – O ano em que a China descobriu o Mundo’, mas sobre essa história falaremos outro dia. O livro de hoje trata de um assunto bem diferente do que estamos acostumadas. Em ‘O império perdido da Atlântida’ vamos embarcar em um capítulo da história antiga de Atlântica, nos aprofundar em seus segredos, seus mistérios, sua arqueologia e conhecer um pouco desse tão fantástico lugar.

Durante sua vida, Gavin percorreu diversos lugares, ocupou diversas posições e acumulou uma bagagem rica em conteúdos de qualidade e histórias para diversos livros. Nesse, em especifico, somos transportados para passagens de sua vida durante uma de suas férias, onde conheceu a rica história de Creta e adquiriu um fascínio e uma grande admiração por tudo o que envolvia aquela civilização e, posteriormente, começou a estudar o inicio da história de Atlântida e tudo o que ronda as lendas da civilização Minoica.

O império perdido de atlanta resenha garota agridoce galera record 5

Reunindo suas descobertas em uma tese, Gavin nos trás um dossiê baseado em passagens documentadas, utensílios e cargas provenientes de embarcações naufragadas, uma bibliografia extensa, exames científicos e diversos fatos arqueológicos. Dando um passo de cada vez, ele vai reconstruindo de pouquinho em pouquinho as características desse povo, vai juntando curiosidades super interessantes sobre a capacidade de expansão e de comercialização, além de grandes aspirações para o manuseio e conhecimento do Bronze (o que, segundo ele, pode ter sido um dos fatos que induziu à Idade do Bronze).

Tal como uma meta pessoal, Gavin se empenhou em “O império perdido de Atlântida” para tentar reconstruir e descobrir mais e mais fatos que pudessem acrescentar em sua tese, e nesse livro temos muito mais que um ‘diário de bordo/viagem’ mas sim um glossário incrível de uma excepcional viagem. Com detalhes surpreendentes, conhecemos muito de uma civilização e de um povo que pouco se fala e pouco se tem interesse, se é que assim posso dizer. Gavin tem o dom da palavra, a perspicácia e a exposição de detalhes de um grande pesquisador e o fôlego de vida para buscar sempre mais.

É muito bom nos deparamos com histórias assim, que nos fazem ver “muito além do jardim” e lembrar que existe muito mais do que podemos imaginar, muitos povos, culturas e fatos a serem explorados e mais ainda a serem ainda descobertos. Terminei essa leitura com um sorriso no rosto, super satisfeita e com uma carga de informações que acrescentaram muito pra mim.

São oportunidades como essa que fazem essa vida de leitor valer a pena, então deixo o  meu muito obrigada a Bertrand Brasil por reproduzir conteúdos como “O império perdido de Atlântida” esse em nosso país. Parabéns pela diagramação, pelas imagens e pelos mapas contidos nesse livro. A capa está uma coisa super elegante e chamativa!

O império perdido de atlanta resenha garota agridoce galera record 2

O império perdido de atlanta resenha garota agridoce galera record 4

O império perdido de atlanta resenha garota agridoce galera record 3

Encerro essa resenha assim como encerrei a minha leitura: com um sorriso no rosto e a satisfação de indicar um livro tão bom quanto esse pra vocês! É cinco estrelas sem sombra de dúvidas.

Michelle Felippelli About Author

29 anos, fotógrafa, publicitária formada e uma completa bookaholic. Exatamente ao pé da letra o significado de Agridoce: amarga e doce. ;)